Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘burro’

Caso você seja alguém feio e sem dinheiro ou, no caso da mulherada, sem recursos para se entupir de silicone e hormônios masculinos para ficar com aquele corpitcho de traveca se achando a totosa e virar alguma sub-celebridade ou mulher qualquer-coisa do funk, é bom você começar a pensar em alternativas para ganhar um troco…

Estudar é para os fracos… óbvio… isso te garante salários normaizinhos… nada que satisfaça o ego de uma celebridade, certo?

Talento é coisa que não se usa mais, afinal, ninguém mais quer coisas diferenciadas, visto a enorme capacidade de imitação que acompanhamos nos nossos círculos e é tendência confirmada em tudo que é lugar….

Ser original é tão ano passado… a moda é acompanhar tendências…

peraí… moda? Tendências? Já ouvi isso antes… ah é, em minhas aulas de estatística na faculdade… vejamos:

Moda ( m )– observação que ocorre com maior frequência numa amostra.

Tá, coisa que acontece seguidamente… o que não quer dizer, necessariamente, que seja algo bom… vamos tentar no amansa da língua portuguesa:

Significado de Moda

s.f. Uso passageiro que rege, de acordo com o gosto do momento, a maneira de viver, de vestir etc.
Fantasia, gosto, maneira ou modo segundo o qual cada um faz as coisas.
Cantiga, ária, modinha.
Estatística. Valor do argumento central da classe de frequência máxima. Suponha-se que um menino conte os ovos de 77 ninhos de pássaros. Ele vê que quatro ninhos possuem um ovo cada um, 65 têm dois ovos cada um; cinco têm três ovos; e três têm quatro ovos. Os ninhos que contêm dois ovos são os que mais se repetem. Portanto, dois é a moda ou valor modal deste grupo de números. A moda é um tipo de média muito utilizada.
Estar na moda, estar em voga, ser geralmente usado.
Passar da moda, deixar de ser imitado, deixar de estar no gosto atual.
Bife à moda, prato feito de maneira especial por alguém, ou por um restaurante.
loc. prep. À moda de, segundo o gosto de.

Buenas…

de acordo com as explicações, dá para entender que, estando na moda, você está repetindo coisas que MUITAS OUTRAS PESSOAS também repetem… e, isso, ao meu ver, usando outro termo estatístico, é estar na tendência… na média… ou seja, SER UM MEDÍOCRE…

Pois bem, se assim o quiserem, nada contra… só queria me certificar que todos sabem do que se trata estar na moda… e o principal, quem é que dita essas regras?

Geralmente alguém com grande influência, com passagem ampla na mídia e que, com a ajuda subliminar do marketing, acaba em seu cérebro, corroendo-o…

Não há doença alguma em seguir a moda… a doença está mesmo em gostar de algumas modas sugeridas…

Assim como os mercados e os preços das bolsas são determinados por velhacos que calculam riscos disso, daquilo ou daquilo outro, e, invariavelmente determinam padrões que seriam informações inúteis se não fossem a cambada de antas que seguem estes conselhos, na moda ocorre a mesma coisa, só que ao invés de velhacos, são gays ou doidas entediadas que fazem isso…

Se um bambabam da moda determinar que agora o heap, o must, ou sei-lá-qual-termo que inventarão para dizer que é superior ao anterior, disser que agora o lance é usar calcinha por cima da calça, a mulherada ficará com as barbas de molho e olhando torto… mas, basta alguma BBB ou atriz de novela aparecer usando e VOILÁ! Lá estará você numa liquidação da C&A procurando uma calcinha que fique legal para usar por cima daquela calça comprada na Renner em 10x sem juros…

Se eu me incomodo com isso? De forma alguma! Só me acho no dever de atentar para as pessoas o quão ridículas se tornam ao simplesmente deixarem-se levar por ideias alheias…

É claro que a moda, apesar de ser um termo deturpado pela indústria de vestimenta, é algo que sugere algo difundido e amplamente aceito…

Mas, pensem bem, queridonas e queridões, uma coisa é a Gisele Bundchen ou o Gianechini ficar bem com aquilo… outra coisa são vocês…

Não há nada mais irritante do que ouvir uma “consultora de moda” dizendo: “Aí você brinca com as formas/texturas/cores/etc”… tipo, a moda é essa, mas, com bom senso, tudo é permitido…

Moda de vestuário não deixa de ser, sobretudo, uma indústria, um mercado, ou seja, eles VENDEM/EMPURRAM coisas em você, mesmo que isso, na interpretação deles seja uma merda, afinal, toda empresa tem que desovar o estoque para começar a produção do próximo ano…

E, sobretudo, o termo moda, é um agravante do preço, onde geralmente aqueles itens custam infinitamente mais por justamente estarem na moda, em relação aos itens que não estão…

resumindo: Você paga mais por um item que todo mundo tem, ao invés de pagar menos em um item que só você tem?

Peraí... pago mais para um item que fará publicidade a alguém que justamente tornará o item mais caro em função disso? Cuma?

Peraí… pago mais para um item que fará publicidade a alguém, e que justamente tornará o item mais caro em função disso? Cuma?

Pois é amigos, a sensação de ser feito de besta lhe soa como aos ouvidos? É legal? Na pirâmide de Maslow, conclui-se que, pessoas pagam mais para sentirem-se fazendo parte de algum grupo… e, daí para frente, a galera deita e rola para justamente te deixar babando de vontade de pertencer àqueles grupos… show, né não?

Adorei esse adereço que combina com a minha 7 léguas estilizada com a Barbie...

Adorei esse adereço que combina com a minha 7 léguas estilizada com a Barbie…

Calça Saint Tropez é o must!!!

Calça Saint Tropez é o must!!!

Anúncios

Read Full Post »

Estava ouvindo outro dia a entrevista da Fernanda Young com o Marcelo Adnet em seu programa, que não lembro o nome. O cara é divertidíssimo mesmo, e ela, com aquele ranço cool, travestido de intolerância por excesso de inteligência. Afinal, é totalmente cult desdenhar das coisas atualmente (abraço, Felipe Neto).

Bom, tudo normal. Mas o ponto alto, que me fez refletir foi quando ela pergunta a ele algo sobre eleições… e ele falando que se forçava a ver o horário político para tentar entender algo do que se passava, mas, que achava que ia acabar votando no cara que falava apenas 6 segundos mesmo. Muito justo, afinal, a eleição desse ano, como ‘nunca antes na história desse país’ teve tantos políticos de merda. Se alguém achava que estávamos no fundo do poço, esta eleição comprovou que existe subsolo 1 e 2 ao fundo do poço.

Enfim, mas ainda não foi isso que me fez pensar, e sim a parte onde ele criticou as pessoas que anulam seus votos. Mas não isso isolado, o que me espantou foi que, em seguida ele também afirmou ser contra o voto obrigatório. E aí me ‘roncou os tripas’. Não só ele, mas MUITA gente apela para esses lugares-comuns políticos. Voto nulo ou em braco é contra o ‘processo cidadão’ de escolher quem mandará no futuro do nosso país, correto? Pois então, como é que alguém pode, de forma cidadã, dizer que TODOS ESSES CANDIDATOS SÃO UMAS MERDAS E EU PREFIRO VIRAR ANARQUISTA DO QUE ATURAR ESSAS BESTAS NO PODER? Alguém aí sabe como fazer? Mas até aí tudo bem, cada um diz o que bem entende. Mas sempre é bom ponderar sobre o que é dito… direito de quem ouve, correto?

Então, alguém sabe me dizer a diferença entre votar nulo ou não ir votar?

Acho bem intessante as pessoas quererem parecer legais, engajadas e conscientes. Mas, mais importantes do que querer parecer legal, é realmente SER legal. Então, é de bom tom que a gente raciocine diante das coisas e não apenas aceite tudo o que se ouve.

Então, voltando à vaca fria, votar nulo ou não ir votar… qual é a porra da diferença??? Então, meus amigos, nos acostumemos a tentar aplicar um filtro de inteligência sobre as coisas. É sempre prudente. É claro que a culpa é do sistema e não de seus componentes. Enquanto não existirem mecanismos de anularem-se eleições por falta de candidatos à altura não contem comigo para participar de uma verborragia coletiva e achar isso legal. Não consigo ouvir baboseiras, promessas que não serão cumpridas e nem marketing superavitário próprio e me achar um cara consciente. Aliás, aumenta a minha sensação de ser um imbecil que é ludibriado ao longo dos anos e que não faz porra nenhuma além de reclamar. Mas, fazer o que além de reclamar? Enquanto o sistema for esse, tenho duas alternativas. Me eleger ou virar funcionário público e mamar deitado. Ou, virar guerrilheiro, matar uma meia dúzia, para daqui uns 20 anos eu ser aclamado como herói, receber bolsa auxílio indenizatória e, quem sabe, virar presidente.

Então amigos. Estamos em um país onde parecer vale mais do que ser. Cuidem o que forem dizer, a menos que vocês estejam falando para uma platéia burra, aí eles não oferecem perigo algum.

Olha Margie, eu pareço o Harry Potter sem a cicatriz...

Read Full Post »

%d blogueiros gostam disto: