Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘corno’

Ah mulherada…

o bom e velho chororô de que homens são todos canalhas que pensam apenas com a cabeça de baixo e que blablabla whiskas sachê… e que corneiam vocês por serem vis, cruéis e que não têm alma…

Bem, isso era coisa do século passado…

Hoje em dia, a mulherada dá mais que chuchu na cerca (ou na serra?) e troca de parceiro tanto quanto toma pílula do dia seguinte… E, certamente, nos metem tanto chifre quanto metemos nelas até hoje… parabéns, queriam igualdade? Pois conseguiram… em matéria de escrotice, vocês já se igualam a nós…

Mas, como sou um ser do sexo masculino, só vou explicar o porque que nós pulamos a cerca…

E o motivo é bem simples… É PORQUE VOCÊS USAM O SEXO COMO BARGANHA…

Sim, a mulherada usa sexo como barganha para atingir seus objetivos… mais ou menos como o petisco funciona no adestramento canino… se sentarmos, dermos a patinha, vermos a novela, puxarmos a cadeira, abrirmos a porta do carro, dermos flores, etc, etc e tals, aí ganhamos um boquetezinho pelo menos no fim da noite…

Ah, mandou a namorada à merda porque ela quis te levar no cinema para ver o final da saga Crepúsculo? Pode crer que vai acabar a noite socando uma vendo putaria na net…

Pois alguns bravos paladinos que não se vendem por aquela posiçãozinha que ela só libera quando quer realmente alguma coisa de você, que tantos nos orgulham, fazem o quê frente à tão escancarada (ou apertada, sei lá) chantagem? Mostram à essas manipuladoras que, como a lei mercadológica manda, toda e qualquer negociação é baseada na lei da oferta e da procura…

Se a sua oferta for superior à da demanda, será vitoriosa, senão, lascou-se!

Traduzindo: Se você for extramente boa no que faz, e o cidadão não tiver mais ninguém dando em cima dele, ele se sujeitará ao proposto. Afinal, sem nenhuma foda prospect, a tendência é que o cara ceda na oferta mais cômoda (ou fácil). Já, se o cara tem cartas na manga (ou telefones na agenda/perfis no facebook), ele te dará uma lição no estilo: “se o lance é leiloar a buceta, tenho quem dê de graça”… e sabemos todos que tem quem dê só por prazer ainda, e não como recompensa por serviços prestados…

Meninas, foi-se o tempo em que os homens faziam qualquer coisa por uma transa. Graças a vocês mesmas, com a tal liberdade sexual, conseguiram transformar o sexo em uma coisa tão banal, que, se você se negar, tem várias outras que não negarão… ou por darem-se conta que o artigo macho comedor anda escasso no mercado, ou mesmo porque já perderam a barganha para alguma “sirigaita vagabunda” da vizinhança…

Algumas, é claro, evoluem com esses erros, enquanto outras, ainda vão ter a cabeça ornamentada por outras inúmeras vezes, enquanto acham-se a última bolacha do pacote e que vão escravizar o coitado só para ele conseguir dar aquela esvaziada no saco…

As feministas reviram-se do avesso ao lembrar que, quando queimavam sutiãs em praça pública, exigiam liberação da repressão machista e não para que “marchas de vadias” saíssem com peitos de fora, bradando aos 4 ventos que “a buceta é minha e eu dou pra quem quiser”… pois bem queridas, vocês têm o direito de darem para quem quiser, tal qual nós, temos o direito de comer quem quisermos… e, em tratando-se de homens, geralmente queremos comer TODAS. Mas, como dizem, um produto com muitos clientes nem sempre é chancela de qualidade superior… pode apenas ser porque está em promoção à baixo custo mesmo…

Então, para finalizar, #fikadika de que, não importa o quão gostosa você é… se você começar a usar do mais velho expediente do mundo, embora no seu caso possa ser diferente, ou seja, você troca “serviço” por outro “serviço”, ao invés de cobrar em cash… é bem provável que o seu parceiro vá ao mercado para saber se ele realmente está fazendo um bom negócio ou não… afinal, benchmarking é um comparativo que todos utilizamos para equiparar custo x benefício… lei primária do marketing…

Simples assim…

... aí eu peguei ele assim e...

… aí eu peguei ele assim e…

Anúncios

Read Full Post »

Se Sun Tzu quando escreveu a “Arte da Guerra” fosse torcedor de futebol, certamente usaria um monte de metáforas do esporte em sua obra sobre estratégia.

Os filósofos modernos usam várias, e, diria eu que são tão eficientes quanto as do nosso amigo Oriental Medieval.

Uma das mais usadas para definir relações amorosas e uma das minhas preferidas é a “Lateral que vai muito ao ataque toma bola nas costas…”. Geralmente quando queremos definir cornos em potencial. No meu tempo também trocávamos o lateral por zagueiro gordo na mesma frase… enfim, dava no mesmo.

Mas, uma estratégia que nunca sai de moda e que pode ser explicada no futebolês, é a inversão de jogo.

Pra mulherada que não manja muito do jogo, inversão é uma arma usada por um time para pegar o adversário de ‘calças curtas’… não entendeu porra nenhuma? Tá bom, eu explico.

Geralmente o lateral direito do time dava um chutão (antigo ‘bago’) em diagonal buscando a ponta esquerda do ataque, pegando assim a defesa do outro time toda desarrumada.

Bom, para usar um exemplo então que a mulherada entenda seria algo assim numa discussão doméstica:

– Agenor, onde você estava até essa hora da madrugada?

– Estava fazendo hora-extra para pagar a porra da conta que tu fez no Free Shop na última viajem.

INVERSÃO 1: 1×0 pro homem.

– Ah é? Se tu trabalhasse mais durante o dia e não ficasse dormindo até tarde não precisaria fazer horas extras para isso, seu vadio!

INVERSÃO 2: 1×1.

– Eu durmo até tarde porque tu me irrita tanto na hora de dormir que no outro dia estou podre…

INVERSÃO 3: 2×1 – homem

– Eu falo porque não aguento o teu jeito de levar tudo na flauta…

INVERSÃO 4: 2×2

– E é por isso que eu tenho que mentir que faço hora extra na noite… pra não ficar te ouvindo reclamar…

GOL CONTRA AOS 48 DO 2º TEMPO

 

Resumindo, inversão de jogo é a velha arma de manter ocupado quem quer te atacar… se eles perderem tempo se defendendo não terão tempo para te atacar, certo?

A menos que seja em casa… fatalmente a mulher dará um jeito de atazanar tanto até que o cara cometa uma cagada estratégica…

 

Fazendo um casamento durar mais tempo...

Zagueiro Gordo...

Read Full Post »

O marido seguiu os conselhos de revistas e especialistas de plantão e resolveu apimentar o casamento…

As brincadeiras modificavam-se com uma boa aceitação da esposa… mas, o gargalo era aquela parte do corpo específica que ela não liberava de jeito maneira…

Educada e perseverantemente, o marido tentava abordagens diferentes, sem sucesso, transformando a vontade gradativamente em obsessão. Ele queria, e muito, a bundinha da esposa…

Tentou presentes, flores, jantares, embebedá-la… chegou a tentar champagne e tequila juntos… mas, o máximo que conseguiu foi o quarto vomitado…

Estava já aceitando a derrota, afinal, o conceito de parceria matrimonial, para ele, incluía aceitar os limites dela… e, se aquilo realmente era um problema, que então ele abrisse mão disso…

Acordou no dia seguinte com a cabeça erguida… era isso, se ele tinha que abrir mão de um luxo dele para a estabilidade da relação, seria um preço pequeno a pagar para as coisas andarem tranquilamente… passou o dia ainda digerindo a idéia… e, durante o expediente, resolveu sair mais cedo, e, levando flores à esposa, desculpar-se pelo egoísmo e dizer-lhe outras coisas…

…a cena, que era para ser uma surpresa sua para a esposa, reverteu-se na hora em que presenciou ela e seu melhor amigo, pelados, no sofá da sala… a cena o paralisara, e, ainda com o ramalhete de flores na mão, assistia a vergonha suprema… sua mulher ali, em sua casa, dando aquilo que negara-lhe por tanto tempo, para o seu amigo de infância…

Para você, querido leitor, a cena é horrível por:

1 – ser traído?

2 – ser traído pelo melhor amigo?

3 – ela estar dando para ele o que nunca quis dar pra você?

4 – nenhuma das acima. Você é corno, é feliz com isso e lançará o dia do orgulho corno em passeata pública

Para alguns, essa tripla traição só se resolveria com 3 tiros no sofá, o real vilão dessa história…

Deve ter sido o amendoim que eu comi, querido...

Read Full Post »

%d blogueiros gostam disto: