Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘mundo melhor’

Recém iniciou-se o BBB13, e, para variar, já estou me irritando com ele…

Não pelo programa em si, afinal, tem ali elementos que me agradam, tipo, mulheres exibindo seus corpos para obter vantagens, mas, ainda assim, deixando claro que nós que somos suas vítimas é que somos os bandidos…

Enfim, não é sobre isso que eu vou falar, e, muito menos é isso que me irrita, afinal, ver gostosas nunca me irrita…

O irritante é perceber que depois de 13 edições NADA MUDOU… nem o povo que assiste a essa bosta…

Aliás, não vou demonizar pessoas que assistem ao programa, embora, de uma maneira fingida e pretensiosamente amena, eu farei…

A discussão do primeiro paredão é se sai a barraqueira e deixam o cara “nulo”, ou se saem com o cara que não “põe fogo na casa” para deixar lá uma criatura que vai aporrinhar todo mundo e, assim, deixar o programa mais “interessante”…

PERALÁPERALÁPERALÁ!

PERALÁPERALÁPERALÁ!

Como dizem aqui no Sul, dá vontade de afofar umas antas dessas à pau!

Olha só… tracemos um paralelo…

Você é daqueles que acham que consumindo drogas, você financia o tráfico?

Ou é da turma que acha que liberando tudo que é ilícito, termina com os que burlam a lei? Nada contra… só não me venham pedir para legalizar o estupro, a pedofilia e o aumento de participações da Carolina Dickmann em novelas da Globo…

Pois para quem acha que a primeira premissa é verdadeira, nessa mesma linha, se você acha legal ver um programa que através de gente chata, mal educada e inconveniente torna-se interessante, então meu amigo, você está ajudando a promover essa sociedade de merda em que você vive…

NÃO, SUA BESTA, EU NÃO ESTOU FALANDO MAIS DO PROGRAMA EM SI AGORA!

Eu estou falando que valorizar conflitos, se divertir vendo gente sendo perturbada, se estressando, ou, no bom português: VER ATÉ ONDE O SER HUMANO É CAPAZ DE SE REBAIXAR POR DINHEIRO, então, meus queridos, vocês não são lá essas boas pessoas que imaginam ser…

No momento em que a baderna moral é divertida e pessoas “normais” são motivo de escárnio, é porque, sinceramente, há algo muito errado com a forma de se pensar…

Não conheço o concorrente da moça barraqueira, que aliás, não tenho rigorosamente nada contra também, apenas tenho minhas restrições com pessoas que arregalam os olhos para falar… é o meu bom e velho preconceito (QUE NÃO É SEGREGAÇÃO, PORRA!) de segurança que me diz o tempo todo: gente que fala de olhos arregalados é doida… afaste-se delas!

Se ela nasceu na favela, é preta, branca, amarela ou vermelha, tanto faz, afinal, DISCRIMINAÇÃO RACIAL é coisa de IGNORANTES, ou, pessoas tão burras a ponto de achar que fatores como cor, local de nascimento ou classe social pode simplesmente tornar alguém melhor ou pior que outra pessoa…

MAS, PORÉM, TODAVIA, CONTUDO, ENTRETANTO, SENÃO, de forma alguma esses mesmos quesitos podem ser usados de forma PATERNALISTA a favor dessa mesma pessoa, no caso dela ser UMA MALA, uma vez que todos aqui já entramos em acordo que queremos um mundo mais igual, certo? Pois, para ser igual, a banca tem que pagar, mas também tem que receber…

Amenizar a chatice da pessoa só porque ela veio de “Comunidade” é desmerecer todas aquelas pessoas bem educadas dessa mesma comunidade… ou você aqui acha que todos que vêm de comunidades são do jeito “Nem”? Claro que diremos todos um não, claro que não… afinal, somos criaturas lutando contra a segregação, certo?

Putas duns hipócritas é o que nós somos… pois a coisa tem que fluir para todos os lados, e não só para o que o seu campo limitadíssimo de visão percebe… tem mais gente no mesmo barco, mizifio…

A gente somos pobre, mas a gente não precisamos ser abestalhados...

A gente somos pobre, mas a gente não precisamos ser abestalhados…

Anúncios

Read Full Post »

Buenas,

fiquei um tempo afastado, por motivos de força maior, mas, devagarzinho, vamos tentando retomar a vida… nada de mais, não precisam se preocupar, caso o fizessem…

Estava eu, nesse meio tempo, pensando sobre as fugas que podemos ter…

Alguns bebem, outros se drogam, outros vão para o sexo, outros dormem, ou, alguns outros, fazem todas as anteriores…

A cada dia vemos mais pessoas com síndromes, algumas, ridículas, mas, não menos problemáticas para quem se acomete delas.

No meu caso, eu dormia. Não sou chegado a drogas, embora ainda veja uma comédia romântica que outra, nem bebo; o sexo que é bom, depois de casado, vira coisa rara, ainda mais com um frio desses de lascar, onde o pau vira um clitóris com recursos avançados. Amantes são uma boa pedida, mas, na fase de tentativa de refazimento moral em que me encontro não é algo a se ponderar… não, não deixei de gostar de mulher, apenas estou tentando contar o ímpeto de fazer cagada, afinal, há coisas mais importantes na vida do que simplesmente comer uma gostosa (embora não tenha nada melhor).

Enfim. Mas, onde chegar com isso tudo?

Simples.

O ponto é do porque precisamos de fugas?

Fugas da realidade em que nos encontramos.

O querer fugir de onde você se encontra, na verdade, é um sinal de alerta que todos devemos entender como: “Há algo errado”. E, nesse simples comando mental, ativar um refinamento para tentar entender o porque você não gosta daquilo.

Nesse ponto, devemos separar as nossas conclusões para análise posterior. Afinal, o que achamos que é bom para nós nem sempre REALMENTE é bom. Pode ser, a curto prazo, por exemplo, no caso de alguém que está afim de algo novo, fazer algo doido para quebrar a rotina. Não há nada de mal nisso, certo? Nem sempre…

Sempre tem como ficar pior do que está. Ou, como diria o filósofo: Não há nada tão ruim que não possa piorar…

A tática do ‘bode na sala‘, as vezes, pode nos remeter a uma conclusão de que a coisa não era tão ruim quanto imaginávamos…

Mas, ainda assim, se você se der conta de que toda e qualquer coisa que aconteça na sua vida não é por acaso, poderá concluir que todos somos o somatório de nossas experiências, e, ao contrário do que alguns possam achar, não é o conhecimento que acumulamos que faz a diferença, mas sim, como procedemos frente às situações que se apresentam.

Sim, podemos aprender que a tomada dá choque apenas ouvindo alguém nos dizer isso, ou, se preferirmos, podemos enfiar os dedos em uma para ter a real dimensão da coisa. A escolha é de cada um.

O que eu acho é que para alguns, fugir da realidade é um consolo, é ter um momento de alegria num mar de merda… mas, para outros, encarar essa realidade pode ser, embora dolorida no processo, bastante libertadora ao final.

E foda-se se você concluir que é incompatível com algumas coisas. É normal. O que conta mesmo é você ter certeza de que o seu modo de vida não agride os outros, não te faz fazer coisas imorais, criminosas ou que tragam prejuízo aos outros.

Como ouvi outro dia, nada que tenhamos que fazer escondido pode ser algo bom. É claro que ninguém vai começar a cagar de porta aberta, mas, ainda assim, tenho que concordar que a verdade é bastante libertadora. Não ter o que esconder, não ter o rabo preso e não ter medo de que descubram aquele seu ‘podre’ é o que eu poderia classificar como a verdadeira liberdade. Uma pessoa que não tem o que temer é alguém que pode ver o mundo de cabeça erguida. E, triunfando ou não ao final, pelo menos ela terá sempre a sua consciência leve…

Não estou pregando que devamos nos tornar santos da noite para o dia. Só estou contando o quanto eu tenho passado por momentos beirando à viagem fora da casinha, mesmo não me drogando, nesses últimos dias.

Se reprogramar é um processo que envolve sim uma boa dose de dor. Pois nesses momentos você encara todos aqueles ‘demônios’ internos. Mas, superá-los é algo que dá bastante alegria…

Resumindo isso tudo. Paremos de transferir culpas dos problemas. Cada um de nós pode (e deve) pelo menos não se conformar com o que te aflige. Porque esse processo todo, além de te tornar alguém um pouco melhor, certamente, por irradiação, poderá fazer do mundo, um lugar menos dolorido.

E era isso…

Bom, vou pro meu grupo de oração lá no retiro (e coloco de volta) espiritual

Read Full Post »

Seguindo a série de boas ações praticadas de maneira nem tão corretas assim, estava eu pensando agora sobre um fato que ocorreu à pouco aqui na empresa.

Um simples acender de uma lâmpada…

Acenderam uma lâmpada aqui na minha sala sem que eu pedisse… até aí nada de mais, não é?

Pois então, imaginem que esse simples acontecimento poderia desencadear algo… imaginaram?

Eu também não estava… até me dar conta, em um momento ‘epifania’ do dia, de que esse simples acender de luz me incomoda diretamente.

Como?

É claro que, para pessoas normais (e não no meu caso) isso se resolveria de maneira pacífica… mas, como hoje é sexta feira, dia de pagar vales, sol brilhando, galpão quente, clientes enrolando para pagar e blablabla, a reação foi um pouco adversa, no estilo:

– Porque acendeu a luz?

– Ah, nem sei… hábito…

– Então apaga essa porra, porra!!!

– Porque essa irritação por causa de uma simples lâmpada?

– Porque fizeram a porra do horário de verão, que me faz acordar 1 hora mais cedo todo santo dia para economizar a porra da luz, e, tu acendendo a porra da merda da luz, faz o meu esforço de ficar 1 hora a menos na cama todo santo dia durante essa porra desse horário virar em nada… ou seja, desliga essa porra e entende o porque algumas antas criaram a porra da merda do horário de verão para ver se algumas amebas que não estão acostumadas a economizar na energia fazerem isso involuntariamente… então, involuntariamente tu acaba de me fazer acordar 1 hora mais cedo para nada!!! Apaga essa merda, seu olho do cú!!!

Enfim… um surto com cunho politicamente correto, embora recheado de palavrões ainda assim pode transformar-se em uma ação para o bem comum da humanidade.

Acho que fiz a minha parte xingando um abobado e fazendo-o entender porque algumas coisas existem…

Que boa pessoa eu sou, não?

Read Full Post »

Bom, tendo em vista que as campanhas de conscientização não estão rendendo como o esperado e as parideiras de plantão seguem mandando ver nas bolsas assistencialistas. Nós, um povo previdente, prafrentex, débil e sério, rumo ao primeiro mundo sem escala no segundo, supunhetemos que algo de novo deva ser feito…

Tentamos a camisinha… nada…

tentamos diafragma, DIU e a puta que o pariu (desculpem, mas era o momento certo pro palavrão) seguiu parindo…

Pílula do dia seguinte?? Só se for o Engov pra curar ressaca…

Pílula entre os joelhos pra tentar mantar as pernas fechadas… nada…

enfim… já que sexo é bom, todos gostam e ninguém quer deixar de gozar dentro pelo visto, recomendo que iniciemos a campanha por mais sexo anal na sociedade…

Mulherada, não gostam de tomar precauções? A Aids não assusta? Chuveirinho de porra meleca muito? Tomar então, nem pensar?

Pois seus problemas acabaram-se…

A solução é simples… dêem menos a perseguida e mais o fiofó… simples assim…

Os parceiros agradecem, apimenta o relacionamento, e, fiquem tranquilas, que merda dificilmente é fecundada… (da última vez que merda fecundou, nasceu o Lula).

dar o fió, é questão de consciência social… portanto mulherada, mãos (bundas) à obra!!!

dar as costas pros outros nem sempre é um ato egoísta...

dar as costas pros outros nem sempre é um ato egoísta...

Read Full Post »

%d blogueiros gostam disto: